Ecommerce: por que investir em um, mesmo em tempos de crise

O ano de 2015 não mostra um cenário econômico muito promissor para o Brasil, e pouco deve mudar em 2016, correndo o risco até de piorar. A “crise” tem levado negócios a fechar as portas, pessoas a perder o emprego e o próprio País a ver seu grau de investimento cair. Esta nuvem negra, porém, não tem afetado os profissionais do comércio eletrônico, que tem visto seu faturamento crescer em 16%, segundo o relatório Web Shoppers, publicado pela E-bit Buscapé.

Ainda de acordo com o resultado da pesquisa, o eCommerce mantém seu lugar ao sol pela gama de possibilidades que a internet oferece aos consumidores. Na web, o planejamento de compra é muito maior e a cautela também, já que os internautas podem pesquisar e comparar preços de produtos entre os concorrentes antes de efetuar a compra.

O que dizem os números para o comércio eletrônico

Entre os setores que mais cresceram estão o de eletrodomésticos (41%) e o de telefonia (53%). Enquanto, eletrônicos e moda apresentaram redução de 17% e 8%, respectivamente. Ó-lhó-lhó! Mas nem tudo está perdido. Além dos números favoráveis para os negócios online, em comparação com outras áreas e até mesmo com as lojas físicas, há outros fatores que influenciam positivamente para o desenvolvimento do comércio eletrônico.

O faturamento do eCommerce segue em ascensão por dois motivos principais: estratégias aplicadas e o comportamento dos consumidores. Como assim? Simples! O primeiro diz respeito às oportunidades que você pode aproveitar na web para tirar vantagem das lojas físicas e atrair mais vendas.

Mais tempo

As compras online poupam o tempo do seu consumidor, já que ele não precisa ir até uma loja para comprar. Tudo é feito online com apenas alguns cliques. E, de quebra, ainda dá para espiar os concorrentes.

Sem filas

Como todas as compras estão a apenas um clique, basta adicioná-las ao carrinho, nada de filas para pagar. Seus clientes preenchem alguns dados e aí é só finalizar o check-out. Rápido, fácil e instantâneo.

Frete grátis

Outra vantagem da internet é a possibilidade de oferecer produtos que não estão disponíveis na loja física com entrega gratuita, além de opções para parcelar, descontos para pagamentos à vista e prazos atrativos.

Menos impostos

Ter um eCommerce é muito mais fácil e mais barato do que manter uma loja física, com todos os seus tributos. Sem contar a exposição de produtos que, devido à ausência de limites, podem contar com grandes volumes.

O segundo é ainda mais focado no consumidor final, uma vez que o seu comportamento ditará os caminhos do negócio. Dados do relatório Web Shoppers apontam que os consumidores dedicam cada vez mais tempo na mídia online. Em dois toques, eles pesquisam preços, têm informações mais completas sobre o que estão procurando e comparam os produtos.

Conclusão

Pois então? Apesar da crise que afeta os brasileiros, o eCommerce parece caminhar pelo sentido contrário, seguindo a trilha de um mercado promissor e em expansão, diferente dos demais setores. Diante dessa realidade, investir no varejo online pode ser uma boa saída para enfrentar o atual cenário econômico sem sentir os reflexos.

Comentários
Facebooktwitter
Facebooktwitterinstagram